Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Condessa de Melo

Condessa de Melo

01
Dez20

Sobre a origem de nomes Portugueses: os comentários do nobre Daniel

Rafaela da Silva Melo

Saudações,

Nesta postagem da origem dos nomes portugueses, dentre os quais, o meu, Silva e Melo, os quais remotam de antes do aparecimento dos primeiros cristãos e depois dos Judeus Sefarditas e demais grupos.

O carissímo Daniel, aos 27 de setembro de 2020, no site ncultura.pt fez uma explanação muito informativa e elogiada com relação a estes nomes, a qual vou destacar em meu blog. 

No Dictionary of Sephardic Surnames há uma listagem completa de nomes e seus significados e origens. É algo que desejo adquirir em breve!

Segundo Daniel,

"Fomos informados de que a maioria dos sobrenomes portugueses foram adotados pelos judeus portugueses durante a adoção forçada de sobrenomes em 1497. Isso não é verdade. Os judeus já possuíam muitos dos chamados sobrenomes portugueses puramente cristãos.

Por exemplo, meu sobrenome é Pimentel, um sobrenome judeu português cristão e sefardita considerado muito nobre e distinto, mas muito mais judeu. Há evidências de que o sobrenome Pimentel já existia antes das adoções forçadas. Havia Pimentels mesmo nos anos 1200. Além disso, os judeus já possuíam um brasão de armas de Pimentel, concedido pelo rei português da época. Mas pode que seja que o brasão ja o pertencia a familia judia Pimentel, e nao concedido pelo rei português. E o sobrenome Pimentel aparece com frequência em todos os livros e enciclopédias judias. En muitos casos o sobrenome e mencionado antes de 1497 durante as adoções forcadas.

Então, devemos acreditar que os judeus sefarditas portugueses adotaram um sobrenome que já era deles durante a adoção forçada em 1497? Isso não faz sentido. Acredito que eles concordaram com o jogo e fingiram que não eram Pimentel. Você pode imaginar a reação dos inquisidores se um judeu Pimentel dissesse que já o tinha o sobrenome e o brasão de armas de Pimentel? A reação do inquisidor seria ‘não tens vergonha de dizer uma coisa tao estupida?’, Pimentel é um Sobrenome Portugues cristão e sempre foi. E como e que você não quer adotar um sobrenome de cristão português porque afirma que já o possui? Não temos outra opção se não condená-lo à morte por heresia.

Ninguém nunca olha para a situação deste ponto de vista. Alguns sobrenomes portugueses eram mais sefarditas do que outros. Com isso, quero dizer que, como os sobrenomes judaicos Ashkenzi que são comumente atribuídos aos judeus, nove em cada dez vezes alguém com um sobrenome como ‘Goldberg’ ‘Rosenthal’ muitos nomes derivados da natureza, tanto como muitos sobrenomes portugueses. Esses tipos de sobrenomes Ashkenazi são considerado nomes judeus e não alemão. Esse tipos de sobrenomes ornamentais de: arvores, plantas, vegetais, frutas, flores, animais, etc., passou a ser bastante associado aos judeus asquenazes, tanto como aos judeus portugueses. Da mesma forma, um sobrenome como ‘Oliveira’ pertencia a muito mais judeus sefarditas do que aos cristãos, que com o tempo tornou-se verdadeiramente um sobrenome judeu português, porque superavam em número dos cristãos por 8 ou 9 para 1. Um dos 12 tribos israelitas era ‘Asher’. O brasão deles tinha uma ‘Oliveira’ no centro. Isso comprove que arvores ja eram usadas nos brasões (emblemas) dos israelitas desde os tempos bíblicos.

Não esqueçamos que a maioria dos judeus portugueses se tornou cristã por conversão forçada. Antes disso, havia provavelmente muito poucos sobrenomes cristãos como Oliveira, Pereira, Pimentel, etc. Mas os judeus certamente já possuíam esses tipos de sobrenomes muito antes das conversões forçadas. Como tal, dizer que todos os sobrenomes portugueses são puramente cristão é uma grande falácia. De fato, os sobrenomes portugueses têm muitas origens diferentes, por exemplo, sobrenomes que têm origem: árabe, grego, celta, italiano, germânico, francês, etc., etc.

A verdade foi escondida de nós há muito tempo. Quanto mais pesquisamos e cavamos, mais verdades surgirão."

E prossegue:

"Muitos desses sobrenomes que são aceitos como sobrenomes portugueses católicos, realmente são sobrenomes que pertenciam aos antigos judeus. Por exemplo, um sobrenome como ‘Menezes ou Meneses’ era de origem Judeia, e foi escrito ‘Menasseh ou Menashe’ em hebraico, e aparece muitas vezes na a bíblia judaica chamada a ‘torá, que é mais conhecido como o ‘antigo testamento’. Portanto, este sobrenome foi transliterado para o moderno sobrenome português ‘Menezes’ ou ‘Meneses’. Este é apenas um exemplo.

A questão não é se alguém é judeu ou não apenas porque tem um sobrenome que foi usado por muitos, muitos judeus. A questão é se um assumido sobrenome português católico nos dias de hoje é originalmente de origem judaica, e não de origem católica.

Lembre-se, os judeus vivem em Portugal desde 70 D.C. e tantos sobrenomes que sempre se acreditava serem de origem católica portuguesa são realmente de origem judaica."

Outro comentário interessante para esta postagem é do Jaime, que menciona os arquivos da Torre do Tombo, diz:

“Pimentel” e considerado um sobrenome nobre e distinguido de origem Judeu – Portugues. No “Torre-do-Tombo” em Lisboa existem arquivos de milhares e milhares de sobrenomes de cristãos-novos que eram suspeitos de recaída para ao Judaísmo. Eles foram julgados pelos tribunais de inquisição da Santa Igreja Católica de Portugal, nas cidades principais como Coimbra, Porto, e Lisboa. Pimentel é um dos muitos sobrenomes que pertenceram a milhares de Judeus-Portugueses. Outros sobrenomes de cristãos-novos que aparecem com muita frequência sao: Albuquerque, Almeida, Azevedo, Carneiro, Cordeiro, Castro, Coelho, Costa, Couto, Cunha, Dias, Ferreira, Fernandes, Machado, Furtado, Fonseca, Gama, Garcia, Gomes, Gouveia, Oliveira, Pinheiro, Henriques, Lima, Maciel, Mendes, Menezes, Miranda, Morais, Nogueira, Noronha, Nunes, Pacheco, Pereira, Pimentel, Pinto, Pires, Queiróz, Ribeiro, Sampaio, Sequeira, Silva, Simoes, Soares, Sotomaior, Azevedo, Bethancourt, Cabral, Carvalho, Lobato, Mascarenhas, Meira, Melo, Mendonça, Morreira, Sousa, Tavares, Teixeira, Vasconcelos, Velho, Vieira."

Na minha contribuição, consiste no livro "Brasões da Sala de Sintra", de Anselmo Braacamp Freire, com um capítulo dedicado aos primeiros Silvas, a linhagem dos Condes e Condessas com a minha autenticação, de atual Condessa desta tão sagrada linhagem.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub